Os diferentes estágios de evolução da música brasileira

Samba_dancers_in_green_outfits_from_União_da_Roseira_at_Helsinki_Samba_Carnaval_2015

Enquanto a Música Eletrônica, Rock, Heavy Metal, etc., seguem um registo mais ou menos uniformizado internacionalmente, os outros principais gêneros de música brasileira têm uma raiz comum, com influências da música portuguesa, música africana e da música indígena, encontrada pelos portugueses ao chegar ao Brasil no século XVI.

As sonoridades indígenas foram em grande parte perdidas mas as africanas carregam consigo os ritmos quentes, a percussão, a voz e, muitas vezes, a dança que acompanha a música brasileira.

Os colonos portugueses trouxeram música tradicional mas também música erudita para o território brasileiro. Os padres Jesuítas começaram por dar aulas de música vocal e instrumental aos índios Guarani, mas estas populações, que tiveram os primeiros contatos com os recém-chegados, acabaram por se refugiar no interior do país, quando não foram dizimadas pelos colonos.

Séculos mais tarde, teve donos de escravos que com eles organizaram grupos musicais sendo que, ao fim de algum tempo, as músicas começaram a ser compostas também pelos próprios escravos, trazendo assim influências africanas à música que estava a ser criada no Brasil.

O Classicismo chegou ao Brasil no início do século XIX com a corte portuguesa, tendo poucas décadas mais tarde sido seguido pelo Romantismo, que teve como principal figura Francisco Manuel da Silva.

No início do século XX começou o movimento do Nacionalismo, que incorporava abundantemente ritmos e melodias do folclore brasileiro, o que começou a emprestar à música deste período uma sonoridade muito específica aquando da fusão com as melodias de cariz europeu.

A música popular, como a Modinha e o Choro vieram dar origem ao conhecido Samba em meados do século XIX – mas que veio a ter maior preponderância já no século XX, com escolas organizadas.

Nos anos sessenta e setenta do século XX, a criatividade dos músicos trouxe fusões mais ou menos improváveis, tendo a Bossa Nova revolucionado a música feita no Brasil.

Novos géneros foram surgindo mas, como é notório pelo exemplo da Música Popular Brasileira, a influência tradicional continua a ser marcante.